Resumo do filme A Guerra do Fogo.

Fonte: Lanutti Capas.

A Guerra do Fogo é um filme franco-canadense dirigido por             Jean-Jacques Annaud. A linguagem pré-histórica utilizada pelos personagens foi especialmente criada por Anthony Burgess e Desmond Morris retratando como os homens das cavernas, datados de cerca de 80.000 anos a.c no período Paleolítico da história, também conhecido como Idade da Pedra Lascada, se comunicavam e, portanto, construíram as primeiras formas de sociabilidade.
O filme inicia-se mostrando o cotidiano de um grupo de hominídeos que vivia em cavernas alimentando-se de insetos, carnes, vegetais e frutas e que utilizava o fogo como principal elemento para sobreviver, isto é, assar e cozinhar os alimentos, aquecer-se contra o frio, iluminar o ambiente noturno e, principalmente, proteger-se contra os animais selvagens da época, como alcateias de lobos, tigres dentes-de-sabre, ursos e mamutes. No entanto, não dominava a produção do fogo, apenas o reproduzia da natureza considerando-o como algo sobrenatural e misterioso. Além disso, não sabia se comunicar mediante uma linguagem verbal articulada e coerente, reproduzindo somente gritos, grunhidos e movimentos corporais para expressar reações e despertar a atenção dos demais.
O fogo era indispensável para garantir a continuidade da existência destes grupos de primatas nômades e, desta forma, era alvo de disputas sangrentas entre outros grupos. Foi em uma destas batalhas, com outro grupo de primatas menos evoluídos, que o grupo de hominídeos pertencente à espécie Homo Sapiens enfatizado no filme perdeu a chama de fogo que mantinha e preservava acessa. Três deles foram escolhidos para buscar o fogo que haviam perdido o que demonstra que já haviam desenvolvido entre si considerável grau de sociabilidade. Durante o percurso enfrentam uma série de obstáculos e dificuldades, como os animais selvagens que hora ou outra os surpreendia. Em certo momento da caminhada se deparam com uma tribo de canibais violenta que por sinal tinha a posse do fogo, uma oportunidade para reconquistá-lo e voltar ao encontro dos companheiros. Um embate sanguinário foi inevitável. Os hominídeos protagonistas saíram vitoriosos. Duas vítimas presas dos canibais conseguiram escapar durante o confronto, sendo que o braço de uma delas já havia sido comido e cedo ou tarde o restante do corpo também o seria.
Na volta com o fogo em mãos percebem que uma das prisioneiras os seguia, como que quisesse ir com eles. Ela, chamada de Ika, conquistou a confiança do trio após cuidar de um ferimento de Naoh com ervas medicinais. Eles despertaram mutuamente um sentimento de cuidado e afetividade, caracterizando esta espécie já extinta como seres que esboçavam ainda que de forma limitada emoções e sentimentos. Certa noite ao redor de uma fogueira um deles movido pelo instinto quase que animal tentou consumar um ato sexual com Ika, porém não obteve êxito. Logo depois, Naoh aparentemente com habilidades mais desenvolvidas conseguiu transar com ela ainda que de forma desprovida de rituais de conquista, porém sem muita afetividade como a que a nossa espécie atual demonstra durante tal ato.
No dia seguinte, Ika havia fugido e Naoh aparenta ter ficado desolado. Ele sai, ao contrário dos seus “amigos”, em busca da companheira e descobre que ela pertencia a uma tribo com costumes e rituais próprios e mais complexos. A tribo Ivaka, da qual a jovem fazia parte, dominava a produção de ferramentas de caça sofisticadas; a construção de cabanas estruturadas por gravetos e recobertas com pele de animais ou folhagens; e, sobretudo, a produção de utensílios, como potes enfeitados com pinturas. Além de tudo isso, falava uma língua mais complexa e eficaz e enfeitava os corpos dos seus membros com pinturas semelhantes o que demostrava que era mais civilizada do que a tribo de Naoh. 

Ele é capturado por essa tribo e obrigado e se reproduzir com outras fêmeas. Os outros dois também são capturados. Os três fogem de volta para seu grupo levando a jovem consigo. Durante esse tempo ela os ensina várias técnicas de sobrevivência, como a produção do fogo. Sentimentos como a felicidade expressa pelo sorriso são apreendidos gradualmente ao longo da convivência com a jovem Ika. Dentre outras coisas ela ensina a Naoh como fazer sexo de maneira que ambos fiquem mais próximos e sintam mais prazer e afetividade. A volta deles é festejada com gritos e outros sons pelo restante do grupo. O filme se encerra mostrando Naoh e Ika aconchegados olhando para a lua e ele massageando a barriga dela que agora está fisicamente maior, o que subtende-se que está gravida. 
Autor: Marcondes Torres.

Por favor, compartilhe!

  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...

26 comentários :

Minions Games disse...

Nem assisti o filme ainda,mas pelo que eu já li entendi bastante...

Unknown disse...

È muito chato kara

Vitoria Gomes disse...

muito chato o filme :p

Unknown disse...

nn eh chato nn

Suzana disse...

Amei... Muito claro, didática de fácil entendimento... Parabéns

Unknown disse...

Pior do que ser chato, e ser obrigado a assistir o filme, pra fazer uma prova sobre esse filme 😒👌

Rafah Santos disse...

e um filme de estudos não para olhar no dia dia...

Raquel Santos disse...

Esse filme nos mostra como foi o começo de nosso desenvolvimento

Gostei.

Talita Ap Bruetto disse...

Esse filme é ótimo, cheio de poética e com atores engajados! É um filme interessantíssimo para quem gosta de linguística, psicologia ou artes! Não é fácil de "entrar" no ritmo do filme, por isso que muitas pessoas não gostam... esse filme não é lazer, é reflexão.

COBRA GAMER disse...

Como eu assisto esse filme?

Cristal Morhy disse...

Pq esse filme é p gente q entende das coisas..n é p qq idiota.. tu deve ter costume d assistir só filme bosta d adolescente.. ��

Beatriz Vitoria Almeida disse...

Esse filme é muito bom, agora com esse resumo entendi melhor, vai me ajudar muito na prova de história

Unknown disse...

haushaushaushaus né,a professora passou esse filme pra turma assistir e agora vamos ter que fazer uma prova sobre esse filme 😒

Kayla disse...

Ne, a professora passou esse filme em classe e vai ter uma prova sobre..😕😒

Kayla disse...

Sim, esse filme é passado para todos nós kkkkjjj

Mulher disse...

Onde vocês acharam esse filme abençoado?

Lilian Almeida disse...

o professor de filosofia de vcs tbm passa filmes que não é de desenho pra fazer resumo?
Não irei assistir o filme só fazer um resumo pela sinopse bjs até o próximo trabalho.

Carlinhos Filho disse...

Esse filme é maravilhoso. Um clássico.

Alessandra Tavares disse...

Sua opinião vc não deve ter prestado atenção pooq se tivesse prestado teria gostado Honey ett fica quietinha!! E exatamente Rafah Santos é um filme de estudos não para olhar o dia dia
Affs essa garota (o) não sabe oq éh filme🙄🙄🙄🙄🙄🙄

Alessandra Tavares disse...

Dvd

Alessandra Tavares disse...

Não é chato sei que é a sua opinião mais presta mais atenção que tu vai entender o filme 🙄

Alessandra Tavares disse...

Olá tem o dvd

Alessandra Tavares disse...

Muito bom

Alessandra Tavares disse...

😊

Alessandra Tavares disse...

Esse filme é ótimo, cheio de poética e com atores engajados! É um filme interessantíssimo para quem gosta de linguística, psicologia ou artes! Não é fácil de "entrar" no ritmo do filme, por isso que muitas pessoas não gostam... esse filme não é lazer, é reflexão. Então prestem bastante atenção quando forem ver o filme 🙄 não fiquem olhando para o nada falando nossa que filme chato pooq com esse pensamento vc não vai gostar e muita gente pensa que só pq a cenas "brutas" "indecentes" não pode ver mais vc no começo do filme já vê que é a partir de 10 anos ett se vc tem menos de 10 anos está perdendo seu tempo assistindo esse filme pooq vc não vai entender nada fica a dica !🙄😦😩🙃

Alessandra Tavares disse...

Ooiiiiii

O que achou do blog? (Sugestões, Críticas, Opiniões e Elogios)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Minha Estante

Meu Livro!

Scroll to top